Indicado ao Oscar de Filme Internacional, "A Felicidade das Pequenas Coisas" chega ao streaming



Primeira produção do Butão indicada ao Oscar, "A Felicidade das Pequenas Coisas", que concorre na categoria Melhor Filme Internacional, estreia nas plataformas de streaming, a partir de 25 de março disponível no Belas Artes A La Carte, e a partir de 30 de março no Now.


Sobre o filme


Escrito e dirigido pelo estreante Pawo Choyning Dorji, que também é escritor e fotógrafo, o filme é o segundo longa do Butão, um pequeno país da Ásia meridional, a ser inscrito no Oscar – o outro foi “A Copa”, de Khyentse Norbu, de 1999. Comemorando a indicação, o cineasta postou uma nota em sua conta no Instagram:


“Hoje, me sinto muito honrado e orgulhoso, não como cineasta de um filme indicado ao Oscar, mas como butanês. A indicação de A FELICIDADE DAS PEQUENAS COISAS, na categoria Melhor Filme Internacional, é histórica para o Butão, um país pequeno mas muito especial com muita sabedoria e compaixão para partilhar com o restante do mundo. Sou muito grato à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e aos membros da Academia por nos dar essa oportunidade e plataforma para compartilhamos nós mesmos com o mundo.


A jornada improvável desse pequeno filme, das geleiras do Himalaia ao Oscar, é a celebração de todas as possibilidades na arte e na criatividade. Esperamos que nosso filme, mostrando valores humanos muito simples e essenciais do lugar mais remoto do mundo, continue a tocar o coração das pessoas, especialmente nesses tempos de dificuldade.”


A história inspiradora de A FELICIDADE DAS PEQUENAS COISAS é protagonizada por um professor na faixa dos 20 anos Ugyen Dorji (Sherhab Dorji), que está prestes a terminar seu contrato com o governo como professor de escola pública. Ele está cansado dessa profissão, e cogita seguir seu sonho: se tornar um cantor na Austrália. Ele é mandado para dar aula em Lunana, um vilarejo minúsculo e distante, um lugar com 56 habitantes, nas proximidades do Himalaia, e acessível apenas a pé – o que garante uma semana de viagem caminhando.


Ao chegar lá, tudo é tão ruim quando esperava: o celular não pega, seu quarto é terrível, e a energia elétrica é intermitente. E ele insiste em ser transferido, mas, enquanto a mudança não sai, é obrigado a dar aulas ali, e acaba sendo conquistado por seus alunos, e se encanta com Saldon (Kelden Lhamo Gurung), uma jovem cuja bela voz canta sobre a natureza e os espíritos.


Desde sua estreia no Brasil, o filme só tem colhido elogios. Mariane Morisawa, no Estado de S. Paulo, diz que “A FELICIDADE DAS PEQUENAS COISAS é uma grata surpresa do Oscar.” No Cineweb, Alysson Oliveira, destaca que “o filme tem como seu grande trunfo a simplicidade, o que está em perfeita sintonia com a história que conta e o local onde se passa”.


Na Folha de S. Paulo, o jornalista Zeca Camargo escreve: “Ao concluir a saga do seu professor, com pitadas de filmes do gênero que vão de ‘Ao Mestre com Carinho’ a ‘Sociedade dos Poetas Mortos’, só que com música, o diretor resiste ao clichê mais imediato da transformação.”


Sinopse


Ugyen Dorji (Sherhab Dorji) tem 20 e poucos anos, e é professor, embora sonhe em se mudar para a Austrália e ser um cantor famoso. Em seu último ano de contrato com o governo, é mandado para Lunana, uma das regiões mais isoladas do mundo, onde deverá assumir uma escola infantil. Apesar de contrario, ele é obrigado a assumir o cargo, e descobrirá naquele lugar a felicidade das pequenas coisas.



5 visualizações0 comentário