top of page

"Enquanto Estamos Aqui" chega aos cinemas brasileiros em 06 de outubro


Um olhar sobre o mundo globalizado onde os afetos se esmaecem a cada dia está ao centro de Enquanto Estamos Aqui, de Clarissa Campolina e Luiz Pretti, que com uma linguagem poética observa o presente por meio da história de Lamis e Wilson, uma libanesa e um brasileiro vivendo como imigrantes em Nova York e na Europa. Com produção da Anavilhana, o longa é uma das obras recentes que demonstram a força criativa do cinema mineiro. O filme chega aos cinemas em 06/10.


Enquanto Estamos Aqui apresenta uma linguagem audiovisual única, em que o texto é construído por meio de diálogos em off e citações de diversos autores, como o filósofo Jonathan Crary (24/7: Capitalismo tardio e os fins do sono) e a poeta Ana Martins Marques, cuja narração também faz parte do filme, ao lado de Grace Passô, entre outros. Linguagem esta que representa a dinâmica dos afetos num mundo cada vez mais fragmentando.


"O processo de escrita do roteiro, além da pesquisa dos textos, em Enquanto Estamos Aqui aconteceu ao mesmo tempo em que filmávamos, montávamos e selecionávamos as imagens de nossos arquivos pessoais. Os diferentes estágios da produção foram se misturando ao longo do tempo", explicam os diretores.


Dessa maneira peculiar de se construir o filme, resulta algo híbrido, transitando entre o documentário e a ficção, o realismo e a poesia. "A narrativa do filme foi construída de maneira que a ficção poderia emergir e ganhar independência das nossas experiências pessoais, dessa forma expandindo o horizonte e chamando atenção para o aspecto sociopolítico", afirmam Clarissa e Luiz.


O filme também é uma resposta à saída do Brasil como um dos signatários do Pacto Global de Migração. A história de dois imigrantes, de diferentes partes do mundo, que se encontram, se apaixonam e enfrentam desafios culturais e econômicos para continuarem juntos em um outro país poderia ser a história de muitos brasileiros que imigram legal ou ilegalmente a cada ano. O longa fez sua estreia mundial no Festival Internacional de Cinema de Roterdã. No Brasil, o filme foi exibido na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e no Olhar de Cinema, em Curitiba.


Lamis é interpretada por Mary Gatthas, uma jovem refugiada sírio-libanesa que vive em Belo Horizonte, cujas experiências foram adicionadas ao filme, somando novas camadas à personagem. "Discutimos com ela todo o roteiro, a maneira como as cartas eram escritas, e como a história da personagem se relaciona com a dela própria", contam os diretores. O mesmo aconteceu com Marcelo Souza e Silva, ator mineiro que interpreta Wilson. Todo o texto foi discutido com ele, que trouxe experiências próprias, aproximando o corpo do ator do personagem do filme.


Além Grace Passô, como narradora, e Ana Martins Marques, o filme também conta com as vozes Fernando Alves Pinto, Gláucia Vandeveld, Philippe Urvoy, Rodrigo Fischer e Theo Campolina Pretti.


Enquanto Estamos Aqui é uma produção Anavilhana, e será lançado no Brasil pela Pique-Bandeira Filmes.


Sinopse


Lamis e Wilson são imigrantes em Nova Iorque. Ela, uma libanesa que acaba de chegar e ele, um brasileiro que mora ilegalmente na cidade há 10 anos. Uma narrativa híbrida construída com uma abordagem poética; um diário de viagem que se torna uma crônica e nos leva para a essência da micropolítica humana em tempos de globalização: um reino incerto de desejos, esperança e medo.




Commentaires


bottom of page