top of page

Documentário "Kevin", de Joana Oliveira, chega aos cinemas em 3 de novembro



O filme Kevin, de Joana Oliveira (Morada), nasce da amizade da cineasta com a ugandense Kevin Adweko, que conheceu há mais de 20 anos, quando as duas estudavam na Alemanha. A partir do reencontro, quando a brasileira viaja a Uganda, o filme investiga o passado e o presente, os caminhos trilhados, e os rumos que as vidas e os países de cada uma delas tomaram. O longa é produzido pela Bukaya Filmes, em coprodução com Anavilhana e Vaca Amarela Filmes, e chega aos cinemas em 03 de novembro, com distribuição da Embaúba Filmes.

O documentário nasce de uma saudade: quando iria se casar, em 2013, Joana gostaria que sua amiga viesse ao Brasil, mas Kevin tinha acabado de ter uma filha, e não podia arcar com os gasto de uma viagem. "Desde que nos conhecemos em 1999 em Reutlingen, na Alemanha, só tínhamos nos encontrado em um país que não era nem de uma nem de outra. Em janeiro de 2013 comecei a escrever o roteiro de um filme que seria uma mistura de documentário e ficção sobre a vinda de Kevin ao Brasil para meu casamento. Acreditava que seria uma forma de me conectar com minha amiga e de termos um projeto juntas, fazer um filme sobre nossa relação."

Além disso, Joana sabia que Kevin era uma figura extraordinária para estar num documentário. "E que a relação entre uma brasileira e uma ugandesa, que têm muito em comum apesar de serem tão diferentes em suas personalidades, interessaria muita gente. Especialmente mulheres. Meu casamento passou, o filme demorou a ser financiado, a Kevin se mudou da Alemanha para Uganda e muita coisa mudou na história do filme."

Joana também aponta que sua amiga Kevin pensava, no início, que o filme não passava de uma brincadeira, ou algo apenas para mostrar para amigas no Brasil. "Quando chegamos na Uganda com a equipe, com contratos, com equipamentos, ela começou a entender que o filme era maior que uma reportagem e ficou muito feliz. A Kevin pode dizer que não acredita, mas eu, sim, sei: ela é uma artista nata. Sabe como se posicionar para ser filmada, entende a captação de som e a manipulação de uma história. Nós conversamos muito sobre o que revelar e o que não revelar e tudo o que está no filme foi acordado."

Joana conta que quando se conheceram, logo se tornaram amigas próximas, e mesmo depois que a brasileira retornou, e Kevin continuou na Alemanha, elas não perderam contato, primeiro, por cartas, e, depois, e-mails. Em 2005, se reencontraram brevemente, quando Joana voltou a estudar na Alemanha, e só em 2014 que estiveram juntas novamente, já com o projeto do filme.

"Estive na Alemanha para planejarmos o filme, fiz testes de câmera com ela. A Luana Melgaço, produtora do filme, me ajudou a ir e ter certeza de que ela estava de acordo com o projeto. Foi ótimo, pois tive certeza de que a câmera e ela se amam! E desde que começamos o projeto do filme tenho visto a Kevin com mais regularidade e tem sido uma coisa linda. Meu marido, Gustavo Fioravante, que assina o som direto e a edição de filme, a conheceu já quando fomos filmar."

Kevin foi filmado em 2 etapas, a primeira em 2017, em Uganda, onde foi rodada uma parte grande do filme, e a segunda em 2019, em Belo Horizonte, Brasil, e, depois, novamente em Uganda, na cidade de Jinja. "Foi antes da segunda etapa que eu procurei a Laura Barile, para trabalhar no roteiro, pois justamente queria tratar Joana e Kevin em uma chave mais distanciada e com a proposta de entendermos essas personagens e fortalecê-las. O roteiro teve também a colaboração ativa de Tatiana Carvalho Costa, que também foi assistente de direção."

O filme teve suas primeiras exibições na Mostra de Cinema de Tiradentes, que aconteceu on-line, e Joana confessa que tinha apreensão sobre como o público veria o longa. "Mas foi impressionante. As pessoas nos escreveram muito, ligaram, queriam seguir conversando sobre a vida, sobre a situação das mulheres, sobre amizade, sobre querer ou não ter filhos, sobre perdas, sobre famílias interraciais, sobre racismo, sobre problemas de família, sobre estar com saudades das pessoas. Muitas mulheres falando de como se sentiram refletidas na tela, de como amam suas amigas."

Joana revela que assistiu a estreia do filme ao lado de Kevin, na Alemanha, e, nas próximas semanas, a amiga chega ao Brasil para o lançamento do longa no país. "A Kevin é uma mulher de pulso muito forte e muito segura do que quer que seja visto e o que não quer. Sim, a Kevin do filme é uma versão dela mesma. Assim como a Joana do filme também é."

Kevin tem ainda em sua equipe artística Clarissa Campolina, na montagem; Cristina Maure, na direção de fotografia; Thaís de Campos, na trilha sonora; Gustavo Fioravante, no som direto e edição de som; e Rimmena Procópio, que fez a direção de arte no Brasil, além da seleção de figurinos.

Sinopse

É a primeira vez que Joana, uma brasileira, visita sua amiga Kevin na Uganda. Elas se tornaram amigas há 20 anos quando estudaram juntas na Alemanha e faz muito tempo que não se veem. A partir desse encontro, o filme tece a fina trama que é uma conversa entre duas amigas: as histórias do passado, os desejos, os caminhos trilhados, os diferentes modos de encarar a matéria do vivido e um elo de amor e sororidade que resiste à distância e ao tempo.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page