top of page

Documentário "Dos 3 aos 3" recebe trailer oficial; estreia acontece em 4/5



A primeira infância está no centro do documentário Dos 3 aos 3, dirigido por Pablo Lobato, que chega aos cinemas no dia 4 de maio, com distribuição da Embaúba Filmes. Acompanhando o crescimento do menino Ravi, dos 3 meses aos 3 anos, de forma lúdica e instrumental, o filme apresenta ao público o quão fértil pode ser o desenvolvimento infantil. Produção da Claroescuro Dos 3 aos 3 acaba de receber o seu trailer oficial.


Filho de Bianca Bethonico, Ravi foi criado à luz dos saberes da pediatra austríaca Emmi Pikler. Sua mãe, pedagoga e estudiosa da abordagem, realizou o longa junto a Lobato e compartilha no filme suas alegrias, ansiedades e conquistas na criação do filho. Mesmo que pouco difundidos por aqui, os estudos de Pikler vêm ganhando cada vez mais espaço no Brasil.


Radicada na Hungria, a pediatra austríaca observou milhares de crianças e amadureceu, após a segunda guerra mundial, uma abordagem revolucionária, dedicada à educação infantil. Tendo como base o cuidado com a saúde física e o respeito à individualidade da criança, um de seus princípios é o vínculo entre o adulto que cuida e o bebê. Outro ponto fundamental para Pikler é o desenvolvimento do bebê por meio da autonomia e do brincar livre.


Para Emmi Pikler, “tentar ensinar a uma criança algo que ela pode aprender por si mesma, não é apenas inútil, mas também prejudicial”.


A ideia de Bianca, inicialmente, não era fazer um filme sobre o filho, mas documentar e estudar seu desenvolvimento nas diversas fases. Ao chamar o artista plástico e cineasta Pablo Lobato para colaborar, a experiência se desdobrou, culminando na realização do longa-metragem.


“Nessa época, eu trabalhava no Ninho Jardim de Infância e fazia palestras para os pais sobre a abordagem Pikler. Usava vídeos com as crianças do Instituto Pikler Lóczy, mas sentia falta de ter um material próprio. Queria registrar o que via acontecer e falar da abordagem com mais propriedade. Pablo se interessou por esse contexto, percebeu relações com o que ele vinha trabalhando em sua prática de ateliê e logo se tornou um parceiro próximo e querido. Nove anos se passaram desse encontro inicial até o filme que agora nasce”, explica ela.


Tratando o tempo como aliado, o longa foi filmado entre 2013 e 2021. Pablo explica que nesse período ele e Bianca puderam se conhecer melhor. Descobriram juntos a melhor maneira de documentar o crescimento de Ravi e como transformar a experiência em um filme que pudesse nutrir aquela ou aquele que cuida, estudiosos ou leigos atentos ao desenvolvimento infantil. “Nas pausas das filmagens, olhávamos juntos o que estava sendo gravado, escrevíamos e ensaiávamos novos caminhos. Trabalhamos aprendendo. Durante a pandemia, convidamos estudiosos e leigos para refletirem a partir de trechos pré-editados. Propus que as nossas experiências guiassem a feitura do filme e não o contrário. A curiosidade e o interesse da Bianca pelo cinema deixaram nossas trocas mais ricas”, conta ele.


Bianca lembra que seu primeiro contato com a abordagem, há quatorze anos, foi através de um DVD emprestado, falado em húngaro e sem legendas. As imagens a impressionaram de tal forma que uma caminhada teve início. De lá para cá, Bianca não parou de se envolver com os estudos de Pikler.


Compartilhar a abordagem para um público maior, através do cinema, foi um dos grandes desafios da dupla. Era necessário encontrar uma forma acessível a todos, não apenas àquelas e àqueles já familiarizados com o tema. E, para isso, mais uma vez se valeram dos ensinamentos da própria pediatra.


“A abordagem Pikler desqualifica o controle do desenvolvimento infantil e se dedica bastante à observação da criança. Dos 3 aos 3 foi feito assim, permitindo que fenômenos observados pudessem dar forma ao filme. Atuei na criação de espaços e tempos para os encontros”, explica o diretor.


Além de acompanhar o desenvolvimento de Ravi, o longa traz Bianca em diálogo com outras mães, pais, especialistas e estudiosos de Pikler, com quem compartilha suas dúvidas, angústias e alegrias ao colocar a abordagem na prática.


Bianca ressalta a presença de Pablo diante de Ravi, com sua postura respeitosa, curiosa, sem intenção, mas com direção. “Se não observamos a criança a uma certa distância, ficamos sempre misturados, pensando ‘ô tadinho’ ou ‘ô que bonitinho’, e acabamos não olhando para ela verdadeiramente. Observar sem tanto julgar, premissa da abordagem, já vinha sendo praticado por Pablo em seu trabalho como artista, fora do filme.”


Pablo foi um dos criadores da Teia – Centro de Pesquisa e Produção Audiovisual, em Belo Horizonte (2002/14). Sua obra é marcada pelo diálogo entre o audiovisual e as artes plásticas. Em sua filmografia, estão os longas “Acidente”, dirigido com Cao Guimarães, e “Ventos de Valls”.


“Trabalhar de modo colaborativo com as matérias, fenômenos e pessoas é algo que venho praticando, mas Dos 3 aos 3 é um novo tipo de cinema para mim. Tínhamos um norte mais delineado. Observar Ravi à luz do saber de Pikler e compartilhar esse modo de cuidar. Trabalhamos com uma natureza poética e também instrumental. Os gestos, a mão que não impõe, a importância do espaço, tudo isso me inspirou enormemente. Passei a olhar para a criança como a fonte da pedagogia”, explica ele.


Passados nove anos desde o início das filmagens, tanto Bianca quanto Pablo olham para esse mergulho com alegria e já com novos projetos. “Dos 3 aos 3 é fruto de uma experiência imensa: acompanhar de perto o desenvolvimento de alguém. Eu observo a primeira infância e não vejo terreno mais fértil do que este para transformações urgentes em uma sociedade como a nossa. Atualmente, sigo envolvido com essas vivências em outros dois longas que também abordam a formação sensível do humano”, diz o diretor.


“Olhar Ravi bebê e vê-lo hoje, aos 9 anos, é um presente para mim. É uma criança saudável física e emocionalmente, e isso só reforça minha atenção e respeito aos primeiros anos de vida de uma criança”, complementa Bianca.

Dos 3 aos 3 será lançado no Brasil pela Embaúba Filmes.


Sinopse


Dos 3 aos 3 acompanha o crescimento de Ravi, dos três meses aos três anos de vida, a partir dos cuidados e do olhar atento da mãe, estudiosa da abordagem Pikler no Brasil. Ao longo da primeira infância do filho, Bianca coloca em prática o legado e os ensinamentos da pediatra vienense Emmi Pikler, onde o respeito à individualidade dos bebês, a promoção da autonomia através do brincar livre e a presença amorosa nos momentos de cuidados reforçam os vínculos e estimulam o pleno desenvolvimento motor, cognitivo, emocional e social da criança.



45 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page