“Ambulância - Um Dia de Crime” (2022)



O precário sistema de saúde estadunidense, que não oferece assistência universal aos seus cidadãos, há décadas se tornou inspiração para Hollywood. John Quincy Archibald (personagem de Denzel Washington em Um Ato de Coragem, 2006) e Walter White (Breaking Bad, 2008), que construiu um império de metanfetamina a partir da necessidade de pagar pelo próprio tratamento contra o câncer, são dois personagens que vem à mente ao tratar deste tema. Com Ambulância - Um Dia de Crime, Michael Bay faz sua contribuição a esse subgênero, tão norte-americano em natureza.


Com roteiro de Chris Fedak, que é baseado no original dinamarquês assinado por Laurits Munch-Petersen, Ambulância - Um Dia de Crime encontra o veterano Will Sharp (Yahya Abdul-Mateen II) desesperado para pagar por uma cirurgia experimental que pode salvar a vida de sua esposa. Sem conseguir auxílio de seu seguro de saúde, ele recorre ao irmão adotivo Danny (Jake Gyllenhaal), que tem um plano para roubar milhões de dólares de um banco. Persuadido a participar do golpe, Will e Danny se veem encurralados por uma armadilha do FBI e sequestram uma ambulância com a paramédica Cam (Eiza González) para fugir da cena do crime. A ambulância, porém, levava um policial ferido, e agora as autoridades não medirão esforços para capturar os irmãos.


Ambulância é um filme que não está interessado em sutilezas. Como de costume, Bay mira no extremo, no exagero. As explosões são grandiosas, os tiroteios são intensos, a perseguição aos ladrões de banco é implacável. Os três protagonistas recebem mais desenvolvimento que os demais personagens, mas mesmo suas histórias não vão além de poucas linhas de diálogo e alguns flashbacks. Elas são importantes para que o espectador se importe minimamente com o destino dos três, mas o foco do filme é a ação. Todos os demais personagens – e este filme é inflado com milhares de coadjuvantes – recebem uma única característica que os destaca imediatamente. O agente com um cachorro gigante. A policial que flerta agressivamente. O supervisor com problemas com o marido.



Enquanto Will assume o papel de centro moral da história, Danny, personagem de Gyllenhaal, se destaca por sua personalidade insana, frases de efeito e comportamento instável. Sua dinâmica com Yahya Abdul-Mateen II é parte mais interessante do filme. A interação entre os irmãos é divertida de acompanhar, bem como os surtos repentinos de Danny.


Apesar de suas mais de duas horas de projeção, o longa se move em alta velocidade, sem nenhum momento de calmaria. Bay abusa das tomadas de drone, que funcionam como transição entre cenas. A câmera passa de tomadas aéreas para mergulhos repentinos na cidade, viajando por tiroteios e precipitando-se ao encontro de carros, contribuindo para a sensação de urgência e aceleração da trama.


Ambulância - Um Dia de Crime não tenta fazer nenhum discurso mais significativo sobre as forças policiais ou o sistema de saúde, simplesmente utilizando estas estruturas para preencher os espaços entre os tiroteios e as perseguições de carro. É um filme turbulento e explosivo, bastante alinhado com a obra de seu realizador.



Já assistiu ao filme? Comenta aqui embaixo o que achou! 🍿

52 visualizações0 comentário