"Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre" (2020)



O filme conta a história de Autumn (Sidney Flanigan), uma menina de 17 anos, que viaja para Nova Iorque com a prima (Talia Ryder) para realizar um aborto. As dificuldades em relação a alguns direitos básicos e o companheirismo das protagonistas são os principais destaques do filme.


Flanigan e Ryder conseguem dizer muito com muito pouco texto em mãos. São os detalhes que fazem suas atuação grandes: uma troca de olhares, uma simples pergunta ou até o toque. O tema é polêmico e o roteiro não esconde isso. Mesmo assim, vários lados e opiniões são expostos durante a jornada de Autumn.


Quero destacar também as escolhas técnicas referentes a fotografia. O filme utilizado traz elegância e profundidade. Ando bem obcecado por produções filmaras em película. O momento em que o filme ganha o seu título é potente, emocionante e esclarecedor. Não tem como não se abalar com essa cena.


🎥 Por que assistir? "Nunca, Raramente, Às Vezes, Sempre" funciona como um retrato, mas também como uma denúncia em relação às dificuldades dos direitos reprodutivos. Simples e muito tocante.


🎞 Parte Favorita: Todas as sutis demonstrações de amor e preocupação que as duas jovens compartilham.


👑 Melhor Performance: Sidney Flanigan


🎭 Melhor Personagem: Skylar



Já assistiu ao filme? Comenta aqui embaixo o que achou! 🍿

1 visualização0 comentário