"Matrix Resurrections" (2021)



O filme apresenta uma nova história, remetendo muito ao início da trilogia original. Ao mesmo tempo que tudo é novo, o sentimento de déjà vu é recorrente e interessante. O primeiro ato foi a parte que mais me conquistou. A metalinguagem é uma ferramenta importante no roteiro do filme.


Gosto de como a diretora e roteirista Lana Wachowski referencia e reinventa os filmes anteriores. O tom, porém, é menos sério e urgente. A comédia pode incomodar alguns. Neste quarto filme, Lana assina o roteiro e direção sozinha, sem a companhia de sua irmã, que optou por não retornar por motivos pessoais.


Vale o destaque para o Morpheus de Yahya Abdul-Mateen II. É sempre um prazer vê-lo atuando. Seu personagem representa muito bem tudo o que este novo filme se propõe a fazer.


Se o primeiro ato me fez brilhar os olhos, o segundo já me cansou. Infelizmente, o filme se arrasta e não consegue manter todo o frescor do início. Visualmente o filme é belíssimo e traz ótimas cenas de ação. Lana dirige tudo com muita maestria!


Vale notar que já se passaram quase vinte anos e todos (Lana, Reeves e Carrie) sustentam o ritmo frenético daquela história. Mas não espere um Neo super-homem. Não deixe de assistir ou revisitar a trilogia original antes de ir ao cinema.


🎥 Por que assistir? "Matrix Resurrections" tem a difícil missão de ressuscitar uma franquia clássica do cinema. Nesse ponto ele falha. Toda a genialidade que testemunhamos no filme de 1999 não está presente aqui e, infelizmente, essa era a graça de Matrix. Para os fãs, devo dizer que este quarto filme é uma maneira de manter a franquia no imaginário coletivo e nada além disso.


🎞 Parte Favorita: A sequência de ação do terceiro ato é bem executada. Foi muito divertido e nostálgico assistir Neo e Trinity juntos novamente naquela situação.


👑 Melhor Performance: Yahya Abdul-Mateen II


🎭 Melhor Personagem: Tifanny



Já assistiu ao filme? Comenta aqui embaixo o que achou! 🍿

5 visualizações0 comentário